Global Reporting Initiative (GRI): tudo o que você precisa saber
August 20, 2020 2:54 PM
A divulgação de relatórios de sustentabilidade transparece metas e resultados das empresas em direção à uma gestão sustentável, fortalecendo assim a relação com a comunidade no geral. A Global Reporting Initiative (GRI) foi pioneira na padronização das informações contidas nesses relatórios, trazendo diversas vantagens a partir dos modelos propostos. Entenda os modelos de Relatório GRI e seus benefícios neste texto!

Desde que foi lançada a Eco-92, que reuniu diversos chefes de estado para debater formas de desenvolvimento sustentável, a sustentabilidade empresarial se tornou uma discussão pertinente e necessária. Quando o assunto entra em pauta podem surgir algumas dúvidas como o que seriam práticas empresariais sustentáveis, como implementá-las ou até mesmo como mensurar e analisar seus resultados. Diante dessas dúvidas, diversas ferramentas surgiram para auxiliar as empresas na implementação de processos mais limpos, na avaliação de seu impacto e no incentivo aos investidores e empresários a manterem uma postura socioambientalmente responsável.

Anteriormente já falamos aqui de dois grandes parceiros da sustentabilidade empresarial: o ISE e o Índice Dow Jones de Sustentabilidade. Esses dois índices econômicos vêm apontando a direção para investidores identificarem empresas com boas práticas e canalizarem seus recursos nestas companhias. A Global Reporting Initiative (GRI) é outra importante ferramenta que surgiu no mercado para auxiliar as corporações na manutenção do planeta, fazendo com que se destaquem por suas práticas, fortaleçam a relação com a comunidade e chamem a atenção dos acionistas.

O que é Global Reporting Initiative (GRI)?

A Global Reporting Initiative é uma organização internacional, sem fins lucrativos e pioneira no desenvolvimento de uma abrangente estrutura de Relatórios Sustentáveis. A iniciativa surgiu em 1997, fundada em Boston pela organização Coalition for Environmentally Responsible Economie (Ceres) e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), promovendo o uso dos relatórios como uma forma de gerir corretamente indicadores ambientais, sociais e econômicos dentro das corporações

Esses documentos reportam boas condutas, padrões de sustentabilidade, valores da organização e modelo de governança. O relatório GRI impacta diretamente na forma como as empresas se comunicam com a sociedade e como elas se apresentam ao mercado. A elaboração de um relatório sobre os impactos causados por suas atividades cotidianas demonstra transparentemente a ligação entre a estratégia da companhia e seu compromisso com uma economia global sustentável.

Modelos do Relatório GRI

Você pode estar se perguntando agora como a iniciativa funciona na prática. Apenas adotar o uso de relatórios como uma forma de mensurar a performance da sustentabilidade corporativa não é o suficiente, uma vez que eles podem variar dependendo da empresa. É preciso ter um padrão, e é justamente nessa parte que as diretrizes da GRI possuem extrema importância.

Conhecidas como G4 (em inglês Guideline 4), as diretrizes criadas pela Global Reporting Initiative padronizam as informações contidas nesses relatórios. Dessa forma, as informações são reunidas de forma mais compreensível e comparável. O G4 foi desenvolvido por meio de um processo abrangente que envolveu centenas de relatores, usuários de relatórios e intermediários profissionais de todo o mundo e são universalmente aplicáveis à empresas de todos os tamanhos, tipos e setores do mercado.

Assim, as Diretrizes G4 constituem um marco internacional relevante em apoio a uma abordagem padronizada de elaboração de relatórios, elevando o grau de transparência e consistência para tornar as informações úteis e confiáveis.


Diretrizes do Relatório - G4

Segundo o documento Global Reporting Initiative – G4 – Manual de Implementação, são oferecidas duas opções para elaboração do relatório de sustentabilidade empresarial. São elas:


  • Essencial: apresenta informações minimamente necessárias para definir a natureza da empresa, sua materialidade, impactos do seu desempenho econômico, ambiental, social e de governança. O termo materialidade se refere ao conjunto de temas mais relevantes, definidos pela empresa, que vão compor o relatório.


  • Abrangente: opção mais detalhada, traz informações adicionais sobre estratégia, governança, ética e integridade. A empresa deverá, também, atender a todas as informações específicas dos tópicos materiais.


Cada uma dessas opções se divide em dois subgrupos, Conteúdos Padrão Gerais e Conteúdos Padrão Específicos, e cada um desses subgrupos apresentam seus critérios de padronização. No Conteúdos Padrão Gerais, por exemplo, devem constar informações sobre estratégia e análise, perfil organizacional, engajamento de stakeholders, ética e integridade, entre outros. Já no Conteúdos Padrão Específicos, o relatório GRI deve apresentar informações genéricas sobre a forma de gestão, indicadores e conteúdos setoriais específicos.

O Manual ressalta que a escolha por qualquer uma das opções não impacta na qualidade do relatório ou no desempenho da organização. A opção escolhida apenas reflete o alinhamento do relatório de sustentabilidade da organização com as diretrizes G4.

Como reportar o relatório

A GRI recomenda a realização de auditoria dos relatórios antes da publicação

A GRI recomenda a realização de auditoria antes dos relatórios serem publicados, ressaltando a importância do processo ser realizado por terceiros, sem ligação com a empresa emissora do documento. Para tal, a companhia tem a opção de contratar consultorias especializadas ou a própria Global Reporting Initiative para realizar um exame de Nível de Aplicação. 

Com o relatório de sustentabilidade nos padrões exigidos, a empresa receberá um certificado de Nível de Aplicação. Esse certificado pode variar entre os conceitos A+, B+ e C+ e esse resultado vai indicar o quão alinhado o relatório está com as diretrizes da GRI.

Após a etapa da auditoria, a empresa deve notificar a Organização através de duas possibilidades: enviar pelo Sistema de Registro de Relatórios de Padrões GRI ou apresentar uma cópia impressa e/ou eletrônica em seu site e preencher o formulário da iniciativa. A GRI disponibiliza um guia detalhado das etapas dos processos de notificação.


As vantagens de se alinhar à GRI

A grande maioria das companhias do mundo, principalmente as brasileiras, produzem relatórios com base no GRI. O Brasil já foi o terceiro país com mais relatórios de sustentabilidade emitidos nesse padrão, segundo o próprio site da Global Reporting Initiative. Se alinhar à Iniciativa é uma das melhores formas que as empresas têm para apresentar seu desempenho à sociedade e buscar novos investimentos, podendo usar o relatório como uma forma de marketing e engajamento com os stakeholders. 

Segundo Ernst Ligteringen, presidente da GRI, esse alinhamento contribui para uma melhor comunicação entre os acionistas e a organização, o que auxilia na identificação de riscos e oportunidades ligados à sustentabilidade. O relatório GRI ajuda também a mudar a mentalidade, buscando o que faz mais sentido para os negócios em um mundo dinâmico, onde não importa somente o âmbito financeiro, mas também o social e o ambiental

Com a padronização das informações é possível uma comparação mais efetiva. Sendo assim, a metodologia permite que a empresa possa comparar suas iniciativas e desempenhos com outras empresas do mesmo país, setor ou com temas relevantes semelhantes. Essa comparação facilita o processo de benchmarking, troca de experiência e acaba colocando empresas mais alinhadas à sustentabilidade em destaque, consequentemente atraindo os olhares de investidores.

Relatórios à favor da sustentabilidade 

Segundo a própria GRI, seu compromisso é ampliar a utilização desses relatórios para que capacitem líderes e investidores na tomada de decisões orientadas para toda a comunidade

A ideia de integrar informações estratégicas sobre sustentabilidade a outros dados financeiros materiais representa uma evolução significativa e positiva. Como citamos anteriormente, analisar as atividades empresariais a partir do relatório de sustentabilidade GRI resulta em desenvolver estratégias reais para criar benefícios sociais, ambientais e econômicos para todos

Ainda assim, uma pesquisa de 2017 feita pela B3, bolsa de valores do Brasil, indicou que apenas 13% das empresas brasileiras divulgam seu relatório de sustentabilidade. A evolução do uso e do conteúdo dos relatórios de sustentabilidade é fundamental para a sociedade e os mercados, precisando deixar de ser uma atividade excepcional para tornar-se uma prática padrão.  

A sustentabilidade corporativa e suas ferramentas desempenham cada vez mais um papel importante nas mudanças das empresas, mercados de investimento e sociedade. Mesmo que a metodologia GRI não seja uma exigência legal, é aconselhável que todas as empresas, independentemente de seu porte, emitam seus relatórios de sustentabilidade anualmente. Essa ação traz transparência às suas atividades, bem como ressalta o compromisso que tem com seus consumidores e com a sociedade onde estão inseridas.

 

Já percebemos que assuntos como sustentabilidade empresarial te interessam. Agora que você entendeu o que é GRI, que tal conhecer uma outra importante ferramenta, citada no início do texto? Leia sobre o Índice Dow Jones de Sustentabilidade e entenda como ela impacta o mercado econômico.

10 anos de PNRS e Logística Reversa: como está a transição para a economia circular?


Referências

Global Reporting Initiative

Instituto Ethos - Diretrizes para Relatórios da Sustentabilidade (GRI)

Cubi Energia - GRI / Global Reporting Initiative, o que é?

B3 - Como publicar relatório de sustentabilidade

Intedya - O que é Global Reporting Initiative (GRI)?

Cebds - Relatório GRI: o que é e por que está sendo rediscutido

SINAPSE Biblioteca Virtual do Investimento Social - Global Reporting Initiative – G4 – Manual de Implementação

SINAPSE Biblioteca Virtual do Investimento Social - Global Reporting Initiative – G4 – Princípios para Relato e Conteúdos Padrão

Exame - Qual é a importância dos relatórios de sustentabilidade?

Casa do Texto - Vantagens da emissão do Relatório de Sustentabilidade – GRI

Fale Com a Polen