Como os créditos de reciclagem podem melhorar a renda de cooperativas e empresas de reciclagem
Créditos de logística reversa, também chamados de créditos de reciclagem, são uma possibilidade de renda extra para cooperativas e empresas que atuam com reciclagem no Brasil. Confira como funciona na Polen e venha ser nosso parceiro.

A Polen faz essa conexão entre as empresas que precisam comprovar a logística reversa de embalagens em geral e os operadores que trabalham com a reciclagem de resíduos sólidos. Isso acontece, pois, as empresas que disponibilizam embalagens no mercado têm a obrigação de neutralizar parte do impacto que elas causam no meio ambiente, isso está descrito na Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), em vigor desde 2010. Dito isso, para que essa compensação ambiental seja possível, os catadores de material reciclável, cooperativas, e empresas de triagem e comercialização desses materiais são agentes importantíssimos dentro da cadeia da reciclagem. 


O que muitas cooperativas e empresas que atuam na cadeia da reciclagem não sabem é que podem melhorar sua renda apenas comprovando o serviço ambiental que já realizam no seu dia a dia. Como? Por meio dos chamados créditos de logística reversa, ou também conhecidos por créditos de reciclagem


Antes de falar sobre o complemento de renda a partir do trabalho com créditos de reciclagem, é importante destacar a diferença entre os tipos de operadores de logística reversa existentes na cadeia da reciclagem. Os operadores podem ser divididos em operadores privados, que possuem uma visão um pouco mais empresarial do negócio, e as cooperativas de reciclagem que reúnem e organizam o trabalho dos catadores. A Polen trabalha com ambos tipos de operadores. 


A Política Nacional de Resíduos Sólidos prioriza o trabalho com as cooperativas, mas não inviabiliza o trabalho com empresas de reciclagem privadas. O grande desafio de trabalhar exclusivamente com cooperativas no Brasil é que muitas delas não possuem a regulamentação mínima para a emissão de notas fiscais e isso inviabiliza boa parte das parcerias.

“Nós da Polen trabalhamos tanto com as cooperativas, quanto com operadores privados, não há diferenciação quanto a questão da remuneração extra nesse quesito”, explica Roberta Souza, analista de operações na Polen. 



Como funciona a remuneração extra 


As empresas por lei precisam comprovar a logística reversa de embalagens em geral como citamos acima. Na prática isso significa que ao colocarem embalagens no mercado, as empresas têm a obrigação de fazer com que essas embalagens retornem para o ciclo produtivo por meio da reciclagem desses materiais. 


Uma das maneiras disso ser feito é por meio dos créditos de logística reversa, gerados a partir do rastreamento das notas fiscais de venda para a indústria recicladora que contém todas as informações sobre o resíduo que será reaproveitado na indústria, seja para a fabricação de novas embalagens ou novos produtos. A Polen paga para o operador a partir da comprovação das notas fiscais, que atestam o trabalho de coleta, triagem e comercialização do material reciclável.  “O crédito é uma representação desse trabalho que está sendo feito”, explica Roberta. Ou seja, o operador ganha pela venda do material para reciclagem e ganha um adicional por esse serviço prestado a partir da comprovação com as notas fiscais


As notas fiscais são a forma que se tem de controlar a origem e destino desse material reciclável. Por meio das informações nelas contidas, é possível afirmar que as embalagens estão de fato sendo retornadas para as indústrias para serem transformadas. Informações importantes podem ser extraídas de uma nota fiscal como por exemplo, o tipo de material (papel, metal, plástico, etc.) e a quantidade comercializada em toneladas desse material. A Polen paga ao operador de acordo com a quantidade em toneladas vendida à indústria recicladora. Os valores variam para cada tipo de material e há uma margem de negociação de acordo com os preços praticados em cada região do país.  Já falamos em detalhes aqui no Blog da Polen como utilizam as notas fiscais dos operadores, vale dar uma conferida na matéria completa aqui .



Quero ser um operador parceiro da Polen


Luana Fernandes trabalha em uma das nossas cooperativas de catadores parceiras, a COOPAMA no Rio de Janeiro. Para ela,  trabalhar com a Polen tem sido uma boa experiência:

“A nossa experiência com a empresa tem sido muito satisfatória, a equipe está sempre disposta a ajudar, facilitando a operação”, afirma Luana.


Faça como a COOPAMA, venha ser um dos nossos parceiros! Para se tornar um operador parceiro da Polen, o processo é bem simples. Basta passar pelo nosso processo de homologação e terá a chance de receber renda extra pelo trabalho de coleta, triagem e comercialização de resíduos que você já realiza, como explicamos acima. 


O primeiro passo é preencher o formulário AQUI e nossa equipe de operações entrará em contato. Já aproveitamos a oportunidade que estamos querendo ampliar nosso quadro de parceiros nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, se você trabalha em uma cooperativa ou empresa privada de reciclagem em uma destas regiões, entre em contato, será um prazer conhecer o trabalho de vocês. 



Autora: Daniella Barbosa


Como os créditos de reciclagem podem melhorar a renda de cooperativas e empresas de reciclagem
July 14, 2021 6:10 PM
Créditos de logística reversa, também chamados de créditos de reciclagem, são uma possibilidade de renda extra para cooperativas e empresas que atuam com reciclagem no Brasil. Confira como funciona na Polen e venha ser nosso parceiro.

A Polen faz essa conexão entre as empresas que precisam comprovar a logística reversa de embalagens em geral e os operadores que trabalham com a reciclagem de resíduos sólidos. Isso acontece, pois, as empresas que disponibilizam embalagens no mercado têm a obrigação de neutralizar parte do impacto que elas causam no meio ambiente, isso está descrito na Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), em vigor desde 2010. Dito isso, para que essa compensação ambiental seja possível, os catadores de material reciclável, cooperativas, e empresas de triagem e comercialização desses materiais são agentes importantíssimos dentro da cadeia da reciclagem. 


O que muitas cooperativas e empresas que atuam na cadeia da reciclagem não sabem é que podem melhorar sua renda apenas comprovando o serviço ambiental que já realizam no seu dia a dia. Como? Por meio dos chamados créditos de logística reversa, ou também conhecidos por créditos de reciclagem


Antes de falar sobre o complemento de renda a partir do trabalho com créditos de reciclagem, é importante destacar a diferença entre os tipos de operadores de logística reversa existentes na cadeia da reciclagem. Os operadores podem ser divididos em operadores privados, que possuem uma visão um pouco mais empresarial do negócio, e as cooperativas de reciclagem que reúnem e organizam o trabalho dos catadores. A Polen trabalha com ambos tipos de operadores. 


A Política Nacional de Resíduos Sólidos prioriza o trabalho com as cooperativas, mas não inviabiliza o trabalho com empresas de reciclagem privadas. O grande desafio de trabalhar exclusivamente com cooperativas no Brasil é que muitas delas não possuem a regulamentação mínima para a emissão de notas fiscais e isso inviabiliza boa parte das parcerias.

“Nós da Polen trabalhamos tanto com as cooperativas, quanto com operadores privados, não há diferenciação quanto a questão da remuneração extra nesse quesito”, explica Roberta Souza, analista de operações na Polen. 



Como funciona a remuneração extra 


As empresas por lei precisam comprovar a logística reversa de embalagens em geral como citamos acima. Na prática isso significa que ao colocarem embalagens no mercado, as empresas têm a obrigação de fazer com que essas embalagens retornem para o ciclo produtivo por meio da reciclagem desses materiais. 


Uma das maneiras disso ser feito é por meio dos créditos de logística reversa, gerados a partir do rastreamento das notas fiscais de venda para a indústria recicladora que contém todas as informações sobre o resíduo que será reaproveitado na indústria, seja para a fabricação de novas embalagens ou novos produtos. A Polen paga para o operador a partir da comprovação das notas fiscais, que atestam o trabalho de coleta, triagem e comercialização do material reciclável.  “O crédito é uma representação desse trabalho que está sendo feito”, explica Roberta. Ou seja, o operador ganha pela venda do material para reciclagem e ganha um adicional por esse serviço prestado a partir da comprovação com as notas fiscais


As notas fiscais são a forma que se tem de controlar a origem e destino desse material reciclável. Por meio das informações nelas contidas, é possível afirmar que as embalagens estão de fato sendo retornadas para as indústrias para serem transformadas. Informações importantes podem ser extraídas de uma nota fiscal como por exemplo, o tipo de material (papel, metal, plástico, etc.) e a quantidade comercializada em toneladas desse material. A Polen paga ao operador de acordo com a quantidade em toneladas vendida à indústria recicladora. Os valores variam para cada tipo de material e há uma margem de negociação de acordo com os preços praticados em cada região do país.  Já falamos em detalhes aqui no Blog da Polen como utilizam as notas fiscais dos operadores, vale dar uma conferida na matéria completa aqui .



Quero ser um operador parceiro da Polen


Luana Fernandes trabalha em uma das nossas cooperativas de catadores parceiras, a COOPAMA no Rio de Janeiro. Para ela,  trabalhar com a Polen tem sido uma boa experiência:

“A nossa experiência com a empresa tem sido muito satisfatória, a equipe está sempre disposta a ajudar, facilitando a operação”, afirma Luana.


Faça como a COOPAMA, venha ser um dos nossos parceiros! Para se tornar um operador parceiro da Polen, o processo é bem simples. Basta passar pelo nosso processo de homologação e terá a chance de receber renda extra pelo trabalho de coleta, triagem e comercialização de resíduos que você já realiza, como explicamos acima. 


O primeiro passo é preencher o formulário AQUI e nossa equipe de operações entrará em contato. Já aproveitamos a oportunidade que estamos querendo ampliar nosso quadro de parceiros nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, se você trabalha em uma cooperativa ou empresa privada de reciclagem em uma destas regiões, entre em contato, será um prazer conhecer o trabalho de vocês. 



Autora: Daniella Barbosa


Fale Com a Polen