Geração de empregos no mercado da reciclagem no Brasil
O aumento dos índices de reciclagem tem um impacto direto na geração de empregos e renda. Conheça a importância das empresas de coleta e triagem de resíduos na cadeia da reciclagem.

Onze anos após a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) entrar em vigor, a geração de resíduos no Brasil cresceu cerca de 19%, porém, o volume reciclado destes materiais não seguiu o mesmo ritmo. Os índices de reciclagem no país permanecem em patamares inferiores a 4% na média nacional, segundo dados da  Abrelpe - Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. 


O aumento na geração de resíduos e os baixos índices de reciclagem acabam se configurando como um desafio para a nossa sociedade uma vez que é preciso avançar na reciclagem e reaproveitamento de resíduos. Mas o cenário atual também pode ser considerado como uma oportunidade para geração de empregos, renda e desenvolvimento de novos negócios. Quanto maior a demanda por reciclagem de resíduos, mais oportunidades de emprego no setor. Segundo a Abrelpe, desde a implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) observa-se que a quantidade de empregos diretos gerados no setor cresceu 17%, com a geração de mais de 48.000 postos de trabalho. 


Embora o país tenha registrado um avanço no que tange a implementação da coleta seletiva nos municípios, ainda existe uma lacuna de mão de obra no setor de reciclagem, não só em relação ao número de pessoas trabalhando, mas principalmente na profissionalização de catadores e cooperativas para que consigam ampliar a sua atuação e reunir os critérios mínimo necessário para negociarem o material coletado com as empresas de reciclagem. A necessidade de comprovação por nota fiscal de compra e venda de resíduos sólidos, limita o trabalho de muitos agentes da reciclagem que ainda continuam na informalidade. 


Conheça o caso de sucesso da RECICLA 

A cadeia da reciclagem envolve diversos agentes importantes que atuam desde a coleta seletiva ao processamento dos resíduos que serão transformados em novos produtos, cada qual é um elo indispensável na cadeia. Hoje, queremos destacar o trabalho desenvolvido pelas empresas de coleta e triagem de resíduos e para isso convidamos um dos parceiros da Polen para contar a sua história. 


Paulo Henrique Salve, 50 anos,  é proprietário da empresa Recicla Comércio de Recicláveis, que atua em Barra Bonita e região, no Estado de São Paulo. A empresa do Paulo está no ramo de coleta e triagem de resíduos sólidos desde 1993, foi pioneira  no trabalho de reciclagem na região. “Na época em que começamos não se usava o nome reciclagem, era papel velho, sucata, era assim que chamavam os resíduos”, explica Paulo. 

O empresário destaca que no Brasil, infelizmente, as pessoas veem resíduos como lixo. "Às vezes o pessoal vem deixar o material aqui na Recicla e pergunta: Onde deixo o meu lixo? E eu sempre respondo, não é lixo não, é um produto! Isso aqui é um material reciclável que vai virar uma nova embalagem. Daí eu falo, entra aqui vamos pesar o seu material, vou te pagar por ele. A pessoa até se espanta quando vê que o que chamava de lixo pode virar dinheiro", completa Paulo.


A empresa do Paulo coleta materiais de várias fontes geradoras, provenientes de cooperativas, catadores, agentes ambientais, supermercados, gráficas, cartonagens e indústrias diversas. “Existem vários tipos de papéis e plásticos, todos eles são coletados triados e reunidos em fardos separadamente, e só aí que seguem para as indústrias, onde serão transformados em novos produtos”, nos conta Paulo sobre a operação da sua empresa. 


O empresário ressaltou que trabalhar com reciclagem demanda muita força de vontade e muito conhecimento, mas que é uma missão gratificante. Ele fala com orgulho sobre seu trabalho: “Gosto muito do que eu faço, esse ramo de atuação transformou a minha vida e da minha família. O meu ganho não é só financeiro, tenho um ganho moral, ético. Sei que estamos cuidando de gerações futuras. Somos “despoluidores”, estamos deixando um legado para Barra Bonita e região”. 


O trabalho desenvolvido pelo Paulo e sua equipe tem um impacto positivo ambiental e social no ecossistema da região de Barra Bonita. O trabalho da Recicla transformou a trajetória do empresário e da sua família, além de gerar renda e emprego direto para as famílias de outros 38 colaboradores. 


Recentemente, a Recicla entrou para o quadro de operadores homologados pela Polen. Temos o enorme prazer em trabalhar com parceiros como o Paulo, comprometidos com o que fazem e consciente do seu importante papel na cadeia da reciclagem.

Autora: Daniella Barbosa.


Geração de empregos no mercado da reciclagem no Brasil
July 14, 2021 6:05 PM
O aumento dos índices de reciclagem tem um impacto direto na geração de empregos e renda. Conheça a importância das empresas de coleta e triagem de resíduos na cadeia da reciclagem.

Onze anos após a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) entrar em vigor, a geração de resíduos no Brasil cresceu cerca de 19%, porém, o volume reciclado destes materiais não seguiu o mesmo ritmo. Os índices de reciclagem no país permanecem em patamares inferiores a 4% na média nacional, segundo dados da  Abrelpe - Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. 


O aumento na geração de resíduos e os baixos índices de reciclagem acabam se configurando como um desafio para a nossa sociedade uma vez que é preciso avançar na reciclagem e reaproveitamento de resíduos. Mas o cenário atual também pode ser considerado como uma oportunidade para geração de empregos, renda e desenvolvimento de novos negócios. Quanto maior a demanda por reciclagem de resíduos, mais oportunidades de emprego no setor. Segundo a Abrelpe, desde a implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) observa-se que a quantidade de empregos diretos gerados no setor cresceu 17%, com a geração de mais de 48.000 postos de trabalho. 


Embora o país tenha registrado um avanço no que tange a implementação da coleta seletiva nos municípios, ainda existe uma lacuna de mão de obra no setor de reciclagem, não só em relação ao número de pessoas trabalhando, mas principalmente na profissionalização de catadores e cooperativas para que consigam ampliar a sua atuação e reunir os critérios mínimo necessário para negociarem o material coletado com as empresas de reciclagem. A necessidade de comprovação por nota fiscal de compra e venda de resíduos sólidos, limita o trabalho de muitos agentes da reciclagem que ainda continuam na informalidade. 


Conheça o caso de sucesso da RECICLA 

A cadeia da reciclagem envolve diversos agentes importantes que atuam desde a coleta seletiva ao processamento dos resíduos que serão transformados em novos produtos, cada qual é um elo indispensável na cadeia. Hoje, queremos destacar o trabalho desenvolvido pelas empresas de coleta e triagem de resíduos e para isso convidamos um dos parceiros da Polen para contar a sua história. 


Paulo Henrique Salve, 50 anos,  é proprietário da empresa Recicla Comércio de Recicláveis, que atua em Barra Bonita e região, no Estado de São Paulo. A empresa do Paulo está no ramo de coleta e triagem de resíduos sólidos desde 1993, foi pioneira  no trabalho de reciclagem na região. “Na época em que começamos não se usava o nome reciclagem, era papel velho, sucata, era assim que chamavam os resíduos”, explica Paulo. 

O empresário destaca que no Brasil, infelizmente, as pessoas veem resíduos como lixo. "Às vezes o pessoal vem deixar o material aqui na Recicla e pergunta: Onde deixo o meu lixo? E eu sempre respondo, não é lixo não, é um produto! Isso aqui é um material reciclável que vai virar uma nova embalagem. Daí eu falo, entra aqui vamos pesar o seu material, vou te pagar por ele. A pessoa até se espanta quando vê que o que chamava de lixo pode virar dinheiro", completa Paulo.


A empresa do Paulo coleta materiais de várias fontes geradoras, provenientes de cooperativas, catadores, agentes ambientais, supermercados, gráficas, cartonagens e indústrias diversas. “Existem vários tipos de papéis e plásticos, todos eles são coletados triados e reunidos em fardos separadamente, e só aí que seguem para as indústrias, onde serão transformados em novos produtos”, nos conta Paulo sobre a operação da sua empresa. 


O empresário ressaltou que trabalhar com reciclagem demanda muita força de vontade e muito conhecimento, mas que é uma missão gratificante. Ele fala com orgulho sobre seu trabalho: “Gosto muito do que eu faço, esse ramo de atuação transformou a minha vida e da minha família. O meu ganho não é só financeiro, tenho um ganho moral, ético. Sei que estamos cuidando de gerações futuras. Somos “despoluidores”, estamos deixando um legado para Barra Bonita e região”. 


O trabalho desenvolvido pelo Paulo e sua equipe tem um impacto positivo ambiental e social no ecossistema da região de Barra Bonita. O trabalho da Recicla transformou a trajetória do empresário e da sua família, além de gerar renda e emprego direto para as famílias de outros 38 colaboradores. 


Recentemente, a Recicla entrou para o quadro de operadores homologados pela Polen. Temos o enorme prazer em trabalhar com parceiros como o Paulo, comprometidos com o que fazem e consciente do seu importante papel na cadeia da reciclagem.

Autora: Daniella Barbosa.


Fale Com a Polen