Sustentabilidade no mercado de plástico no Brasil
O plástico é hoje o grande vilão do meio ambiente, mas o descarte correto e o maior investimento na reciclagem do material, podem fazer do resíduo plástico uma oportunidade de negócios e um agente de transformação socioambiental por meio da economia circular.

 O Brasil é o 4º maior produtor de lixo plástico do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, China e Índia. O país também é um dos que menos recicla esse tipo de resíduo, em 2019, foram gerados 11,3 milhões de toneladas de plástico, mas apenas 145 mil são reciclados em território nacional, como apontou um estudo da WWF Brasil. Isso significa dizer que apenas 1,3% do plástico gerado no Brasil é reciclado, o que está muito abaixo da média mundial que é de 9%.

Segundo a Abrelpe (Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública), o volume de plástico descartado no Brasil aumentou em 2020, foram 15% a mais do que no ano anterior, totalizando 13,3 milhões de toneladas. A boa notícia, é que o índice de plástico reciclado pós-consumo tem crescido no país.

A Associação Brasileira do Plástico (ABIPLAST) em parceria com o Plano de Incentivo Cadeia do Plástico (PICPlast), em 2019 o volume reciclado foi de 838 mil toneladas de plástico pós-consumo enquanto em 2018 foram recicladas 757mil toneladas. O que levou a um aumento do índice de reciclagem pós-consumo em 24% em 2019 comparado aos 22,1% registrado em 2018.

O baixo índice de reciclagem de plástico no Brasil acontece por uma série de fatores, desde a população que não está acostumada a fazer coleta seletiva nas residências, até as indústrias e empresas que ainda não aderiram em peso ao cumprimento da lei de logística reversa.

 

Plástico x sustentabilidade

 

Sabe-se que o plástico é um material desenvolvido em laboratório para se tornar um produto durável, barato e com resistência, na maioria das vezes com uma utilização única que vai de canudos a seringas e embalagens. O material é considerado importante para a população, pois foi a partir da sua criação que se deu a evolução de diversos segmentos, como o de alimentos, já que a taxa de desperdício alimentar caiu consideravelmente desde sua aplicação.

Mesmo com esse benefício, o plástico e seu baixo custo, se transformou no vilão do meio-ambiente pelo descarte incorreto das pessoas. Por exemplo, quem nunca foi à praia e encontrou um canudinho ou um copo plástico jogado na água do mar? Diante de algumas situações, fica a pergunta - mas será que a culpa é só do material?

Reciclagem de plástico no Brasil

 

Levando em consideração o conceito de sustentabilidade, reciclar o plástico seria a solução ideal, além de óbvia e rápida, visto que o material inserido no mercado é grande, só que o retorno para as cooperativas de reciclagem demanda uma logística reversa trabalhosa, além da questão financeira.

A questão da reciclagem foca no que fazer como material no pós-consumo, mas para a cadeia produtiva do plástico o processo de sustentabilidade deve começar no início da produção.

Se todo o resíduo plástico gerado no Brasil fosse reciclado, seria injetado entorno de R$5,7 bilhões na economia nacional. Com isso, o potencial econômico presente neste tipo de resíduo representa uma grande oportunidade de mercado para as empresas que os geram.

Claro que o plástico é apontado como principal produto desse processo, já que ele é responsável por tantas variáveis, aplicações e utilidades, mas a coleta de resíduos ainda é um gargalo para o avanço da reciclagem, segundo aponta uma pesquisa realizada pela FIA - Fundação Instituto de Administração para o PICPlast.

A reciclagem do plástico, além de ser necessária para nós enquanto sociedade, também pode ser uma boa oportunidade de negócio para a indústria se esse material for bem reaproveitado, gerando novos produtos e gerando a cadeia da economia circular.

E aí, você está fazendo a sua parte como consumidor e como empresa?

Autor: Renato Paquet

Sustentabilidade no mercado de plástico no Brasil
July 14, 2021 5:27 PM
O plástico é hoje o grande vilão do meio ambiente, mas o descarte correto e o maior investimento na reciclagem do material, podem fazer do resíduo plástico uma oportunidade de negócios e um agente de transformação socioambiental por meio da economia circular.

 O Brasil é o 4º maior produtor de lixo plástico do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, China e Índia. O país também é um dos que menos recicla esse tipo de resíduo, em 2019, foram gerados 11,3 milhões de toneladas de plástico, mas apenas 145 mil são reciclados em território nacional, como apontou um estudo da WWF Brasil. Isso significa dizer que apenas 1,3% do plástico gerado no Brasil é reciclado, o que está muito abaixo da média mundial que é de 9%.

Segundo a Abrelpe (Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública), o volume de plástico descartado no Brasil aumentou em 2020, foram 15% a mais do que no ano anterior, totalizando 13,3 milhões de toneladas. A boa notícia, é que o índice de plástico reciclado pós-consumo tem crescido no país.

A Associação Brasileira do Plástico (ABIPLAST) em parceria com o Plano de Incentivo Cadeia do Plástico (PICPlast), em 2019 o volume reciclado foi de 838 mil toneladas de plástico pós-consumo enquanto em 2018 foram recicladas 757mil toneladas. O que levou a um aumento do índice de reciclagem pós-consumo em 24% em 2019 comparado aos 22,1% registrado em 2018.

O baixo índice de reciclagem de plástico no Brasil acontece por uma série de fatores, desde a população que não está acostumada a fazer coleta seletiva nas residências, até as indústrias e empresas que ainda não aderiram em peso ao cumprimento da lei de logística reversa.

 

Plástico x sustentabilidade

 

Sabe-se que o plástico é um material desenvolvido em laboratório para se tornar um produto durável, barato e com resistência, na maioria das vezes com uma utilização única que vai de canudos a seringas e embalagens. O material é considerado importante para a população, pois foi a partir da sua criação que se deu a evolução de diversos segmentos, como o de alimentos, já que a taxa de desperdício alimentar caiu consideravelmente desde sua aplicação.

Mesmo com esse benefício, o plástico e seu baixo custo, se transformou no vilão do meio-ambiente pelo descarte incorreto das pessoas. Por exemplo, quem nunca foi à praia e encontrou um canudinho ou um copo plástico jogado na água do mar? Diante de algumas situações, fica a pergunta - mas será que a culpa é só do material?

Reciclagem de plástico no Brasil

 

Levando em consideração o conceito de sustentabilidade, reciclar o plástico seria a solução ideal, além de óbvia e rápida, visto que o material inserido no mercado é grande, só que o retorno para as cooperativas de reciclagem demanda uma logística reversa trabalhosa, além da questão financeira.

A questão da reciclagem foca no que fazer como material no pós-consumo, mas para a cadeia produtiva do plástico o processo de sustentabilidade deve começar no início da produção.

Se todo o resíduo plástico gerado no Brasil fosse reciclado, seria injetado entorno de R$5,7 bilhões na economia nacional. Com isso, o potencial econômico presente neste tipo de resíduo representa uma grande oportunidade de mercado para as empresas que os geram.

Claro que o plástico é apontado como principal produto desse processo, já que ele é responsável por tantas variáveis, aplicações e utilidades, mas a coleta de resíduos ainda é um gargalo para o avanço da reciclagem, segundo aponta uma pesquisa realizada pela FIA - Fundação Instituto de Administração para o PICPlast.

A reciclagem do plástico, além de ser necessária para nós enquanto sociedade, também pode ser uma boa oportunidade de negócio para a indústria se esse material for bem reaproveitado, gerando novos produtos e gerando a cadeia da economia circular.

E aí, você está fazendo a sua parte como consumidor e como empresa?

Autor: Renato Paquet

Fale Com a Polen